O que procurar numa aplicação financeira para a reforma?

Investimento Poupança e Reforma Reforma

O que procurar numa aplicação financeira para a reforma?

3 min Partilhar 21 de Novembro, 2019

Search
Generic filters
Exact matches only
Reforma

O investimento para a reforma é capaz de ser o investimento com maior potencial de retorno, financeiro e não financeiro. Neste artigo, damos-lhe algumas dicas para saber o que procurar e como escolher uma aplicação financeira para a reforma.

Facilidade e Flexibilidade de Investimento

O primeiro fator a que devemos atentar quando falamos do investimento para a reforma é a facilidade e a flexibilidade das entregas, muito antes do risco ou do retorno. Já é difícil poupar para o curto prazo quanto mais poupar para daqui a muitos anos. Sim, temos miopia e tendemos a olhar apenas para o curto prazo, esquecendo-nos daqueles eventos importantes que só acontecerão dentro de muitos anos. Logo, se queremos poupar para a reforma devemos procurar aplicações em que seja fácil subscrever e fazer entregas programadas. Na Reorganiza, privilegiamos temos aplicações financeiras com entregas a partir de €5 por mês.

Comissões aplicáveis

Outro fator a ter em conta nas aplicações financeiras para a reforma são as comissões aplicáveis. Ainda existem sociedades gestoras que se dão ao luxo de cobrar comissões de subscrição e comissões de desmobilização do capital investido, invertendo completamente as regras. A sociedade gestora devia pagar-nos para poder investir o nosso dinheiro, mas ao invés cobra comissões de subscrição (como se fosse um privilégio nosso ter o dinheiro ali). A sociedade gestora também acha que tem o direito de nos cobrar uma comissão de resgate, criando um incentivo à saída (que não devia existir, caso a gestão fosse de qualidade). Logo, evite aplicações financeiras com comissão de subscrição e de resgate pois isso poderá ser bastante prejudicial.

Taxa de retorno e garantia de capital

Sendo o investidor português avesso ao risco, acaba por tomar decisões financeiras que podem não ser as mais eficientes. Na prática, tendemos a apostar mais em aplicações financeiras com capital e taxa de juro garantida, optando pela segurança. Acontece que a segurança financeira implica que nos são garantidas taxas de juro muito baixas, sendo que em muitos casos estas taxas são mesmo de zero. Se o investimento para a reforma é um investimento para o longo prazo e se vamos fazer entregas periódicas, deveríamos optar por aplicações sem capital garantido e com algum risco. O risco é bom pois permite-nos almejar níveis de retorno superiores. É certo que poderemos perder dinheiro em algum momento, mas é provável que o risco compense.

Risco

Abordámos no ponto anterior o tema do risco, um tema que anda sempre associado ao retorno. Talvez já tenha ouvido falar que se queremos mais retorno temos de assumir mais riscos e de que se não queremos risco temos de nos contentar com retornos miseráveis. Pense sempre que quanto mais conhecer os riscos maior será a sua facilidade em gerir o risco a seu favor. Já pensou no bom que seria ter mais dinheiro para a sua reforma sem que isso implicasse mais esforço de poupança? Procure conhecer os riscos…

Qualificação e segurança da sociedade gestora

Ao atribuirmos a gestão do nosso dinheiro a uma sociedade gestora estamos também a assumir algum risco. Não que o dinheiro seja desbaratado e todo perdido. No entanto, deveremos procurar sociedades gestoras competentes e com bom histórico de retorno, sempre conscientes de que estamos a iniciar uma relação de longo prazo. Logo, procure uma sociedade gestora especializada e credível.

Fiscalidade

A fiscalidade é um tema sempre em constantes alterações em Portugal e o tema da tributação dos investimentos não é exceção. Saiba que existem diferentes níveis de tributação das aplicações financeiras e que o caso dos PPR, Fundos de Pensões e Seguros Financeiros é digno de reflexão. Saiba que estes produtos dispõem, cada qual, um conjunto de regras fiscais que os tornam mais interessantes do que os restantes produtos. E lembre-se que uma diferença de 1 ponto percentual que seja ao longo de 20 anos é uma grande diferença.

Como escolher o seu plano de poupança para a reforma?

Para escolher o seu plano de poupança para a reforma deverá ter em mente as ideias de reflexão que abordámos anteriormente e caso tenha alguma dúvida ou caso pretenda conhecer as alternativas que temos ao seu dispor, não hesite em entrar em contacto com o seu mediador Reorganiza.



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá, sou o João, em que posso ajudar?

Outros